fbpx

Alimentos falso saudáveis: Se você em algum momento já tentou iniciar uma alimentação mais saudável, provavelmente já foi também ao supermercado e fez uma compra de alimentos que se vendiam como “saudáveis” em suas embalagens ou estavam na sessão “diet”.

O que nem todo mundo tem consciência é que a indústria alimentícia e sua publicidade estão a todo momento lançando alguns produtos e alimentos que se transvestem como opções super saudáveis que- supostamente- você pode adicionar a sua dieta sem se preocupar, mas que escondem em sua composição substâncias que podem prejudicar sua saúde.

Geralmente as estratégias de merchandising enfatizam na embalagem que aquele alimento possuí muitas vitaminas, minerais etc. Mas omitem suas grandes quantidades de sódio ou açúcar.

Sem esse conhecimento, muitas pessoas acabam exagerando e priorizando esses alimentos que não são tão saudáveis e não devem ser consumidos frequentemente e em grandes quantidades. A cada dia novos produtos assim surgem, porém hoje separamos alguns dos mais populares para falar sobre.

Alimentos falso saudáveis:

  • Barrinhas de Cereal: A maioria das barrinhas de cereais contém altos índices de açúcar e gordura em sua composição, além dos flocos de milho e arroz, que são cereais de alto índice glicêmico e por isso, ao serem ingeridos são rapidamente convertidos em glicose (açúcar) e geram um pico de insulina no organismo.
  • Peito de Peru: O peito de peru em si é uma boa opção de proteína. Mas sua versão embutida presente na maioria dos sanduíches e lanches naturais, é rica em sódio e gordura e não é nada saudável. Também contém em sua composição fécula de mandioca, proteína de soja, aromatizantes e outros componentes artificiais que são prejudiciais à saúde.
  • Águas Saborizadas: Há várias opções de águas com sabor de laranja, limão e outras frutas cítricas, que são vendidas em mercado e consumidas por quem pratica atividade física. Mas essas versões são pouco saudáveis, pois em sua a maioria, contém diversos corantes e adoçantes em sua fabricação, e algumas até açúcar.
  • Suco de Soja: Ainda falando sobre as bebidas, o suco de soja, apesar de ter se tornado popular, não é uma opção saudável, especialmente para crianças, e não deve ser uma substituta do suco natural. Ele possui alto nível de sódio e isoflavonas, substância que pode trazer efeitos colaterais ao ser ingerida em excesso. Além disso, a soja é um alimento de difícil digestão, tendo potencial de induzir reações alérgicas assim como a lactose.
  • Suco em pó: Podemos dizer que todas as bebidas industrializadas, mesmo que tentem imitar frutas, não são boas opções na dieta. os sucos em pó principalmente, pois possuem muito açúcar e corantes.
  • Sopas Instantâneas: Esse é um alimento muito utilizado em dietas restritivas e no inverno, o que é perigoso. Sopas instantâneas são pobres em nutrientes e levam muito sódio e conservantes em sua composição.
  • Adoçantes: Sim, por mais espantoso que possa ser, alguns adoçantes artificiais não são uma boa opção, pois reduzem a sensibilidade à alimentos doces, o que faz com que a pessoa sinta ainda mais vontade de comer doces. Para substituir o açúcar, o ideal é utilizar adoçantes naturais como Stevia e Xilitol.
  • Gelatina: É um alimento ultra processado e contém açúcar, conservantes, aromatizantes e corante. Por isso o seu consumo, sobretudo pelas crianças, pode levar ao desenvolvimento de alergias, problemas gástricos e outros.
  • Shakes: Esses produtos alimentícios são uma sensação entre os que caem na armadilha das dietas mirabolantes. Porém, além de terem um alto custo, eles são compostos por um complexo de aromatizantes, essências, corantes, açúcares e adoçantes artificiais. O excesso de produtos químicos contido neles pode causar disbiose, alteração da flora intestinal, inflamação e falta de nutrientes.
  • Requeijão e Iogurte: Iogurte natural é uma ótima opção para compor uma alimentação balanceada, mas não deve conter farinha ou gordura vegetal, tal como os requeijões. Evite também os sabores artificiais, como iogurtes com caldas de frutas, que normalmente são feitas à base de açúcar, e os requeijões com sabores como cheddar ou gorgonzola.
  • Pão Integral: Não existe na legislação brasileira descrita uma taxa mínima de grãos integrais para que um alimento seja considerado integral, por isso muitos que são vendidos como integrais, na verdade contém mais farinha branca do que grãos e têm as mesmas propriedades que um pão convencional. Também vale para outros tipos de massa.
  • Açaí: O açaí recentemente se tornou uma sensação entre os adeptos de exercícios. Mas, apesar da fruta em si ser saudável e conhecida por seu aspecto, a versão da polpa congelada, que geralmente é mais consumida nas grandes cidades, no sudeste e sul do país, é carregada de xarope de glicose, que lhe confere um sabor doce, além de aumentar seu índice calórico e níveis de açúcar. O ideal é buscar sempre pela versão natural da fruta e não a adicionar a chocolates e outros doces com os quais geralmente a polpa é servida.
  • Granola: Apesar de conter grãos, óleos, frutas secas e sementes, certas variedades de granola encontradas em mercado também possuem grande quantidade de açúcar e alto teor de carboidrato. Prefira sempre as versões sem açúcar.

Alguns desses alimentos falso saudáveis nem sempre são ruins ou possuem substâncias prejudiciais em sua composição, por isso, leia o rótulo e veja sua composição, principalmente se você tem alguma alergia ou intolerância.

Se alguém deseja seguir uma alimentação saudável, ou possui objetivos de perda de peso ou ganho muscular, ela deve ainda consultar um profissional especialista indicará corretamente os produtos que auxiliarão no processo, além de acompanhá-la conforme seu biotipo e necessidades.

Da mesma forma, se a pessoa se enquadra em alguma doença crônica, como obesidade ou diabetes, ou se ela faz parte de algum grupo específico, como os vegetarianos, é imprescindível o acompanhamento profissional.

A indústria de alimentos e produtos alimentícios é muito perspicaz e rápida em criar produtos que transmitam a ideia de saúde e bem-estar. Mas na realidade, as melhores formas de se manter um estilo de vida saudável incluem dar prioridade à alimentos não processados e naturais, só assim têm-se a garantia de sua qualidade e benefícios.