fbpx

O perigo das dietas milagrosas: Dieta da fruta, dieta da proteína, dieta do vinagre, dieta da melancia… Basta uma simples pesquisa na internet, ou uma visita às redes sociais e você encontrará um leque imenso de promessas de emagrecimento milagroso baseado em dietas controversas como essas.

O principal motivo pelo qual todos os especialistas contraindicam esses tipos de dietas é porque, além de não funcionarem, elas podem fazer muito mal à sua saúde.

Embora cada uma apresente uma particularidade, ou um elemento chave, como o consumo de um chá ou fruta específica, algo que todas essas dietas têm em comum é o fato de serem muito restritivas. Algumas determinam que as frutas devem ser a única fonte de alimentação da pessoa durante vários dias, outras colocam que a pessoa deve tomar apenas shakes e muitas delas estipulam ainda longos períodos de jejum, sem comer absolutamente nada.

Nos Estados Unidos novas propostas de dietas absurdas propõe até mesmo que a pessoa substitua a alimentação via oral por uma sonda de nutrientes.

É claro que formas tão restritivas e impositivas não podem dar bons resultados. Se a pessoa fica longos períodos ingerindo só frutas, ela está deixando de ingerir as fibras e gorduras necessárias para o seu organismo. Nosso corpo necessita de porções diárias de macro e micronutrientes. Entenda a diferença entre eles:

 

  • O perigo das dietas milagrosas: Os macronutrientes são o grupo composto por carboidratos, lipídeos (gordura), proteínas e fibras. Nosso organismo precisa de grandes quantidades deles, que estão presentes em muito do que comemos diariamente e são responsáveis por nos dar energia e pelo bom funcionamento do nosso metabolismo.
  • O perigo das dietas milagrosas: Os macronutrientes podem ser encontrados em frutas, cereais, produtos integrais, grãos, carnes, nozes, produtos da soja e abacate.

Os micronutrientes por sua vez, não precisam ser ingeridos em tanta quantidade quanto os macros. Eles são um grupo composto por vitaminais e minerais que o nosso corpo necessita para produção de hormônios, enzimas e outras substâncias, além do fato de atuarem em funções fisiológicas essenciais, e estarem totalmente relacionado às atividades metabólicas e endócrinas.
Alguns exemplos de micronutrientes são cálcio, sódio, fósforo, potássio, ferro, iodo, zinco, entre outros.

Micronutrientes podem ser encontrados em alimentos como peixes, carnes vermelhas, ovos, leites e derivados, legumes e verduras.

Se a pessoa decide seguir uma dieta que veta o consumo de carboidratos, as chances de ela se sentir indisposta, sem energia e sem foco são altas, pois nosso cérebro necessita de carboidratos e eles são nossa principal fonte de energia.

O perigo das dietas milagrosas

O perigo das dietas milagrosas: Carboidratos Simples X Carboidratos Complexos

É fato que os carboidratos são nossa principal fonte de energia, e que se os consumimos em excesso e não gastamos, ele acaba se acumulando em forma de gordura em nosso corpo. Mas a maioria das pessoas demoniza os carboidratos porque associa eles aos alimentos ultra processados e calóricos, porém, muitos não sabem que existem duas classes diferentes de carboidratos que atuam de maneiras distintas em nosso corpo e que também não são encontrados nos mesmos alimentos.

Os carboidratos complexos são aqueles encontramos em alimentos menos doces e de origem mais natural e menos processada, como arroz e macarrão integral, cereais integrais, lentilhas, grão de bico, cenoura e amendoim.
Esses alimentos têm uma digestão mais lenta e, por isso, chegam até o sangue mais devagar, gerando uma sensação de saciedade por um período maior. Em geral, eles mais ricos em vitaminas do complexo B, ferro, fibras e minerais.

Os carboidratos simples, por outro lado, são aqueles encontrados em alimentos mais doces, que em muitos casos contém açúcar refinado. Alguns exemplos são: pão francês, mel, geleia de frutas, melancia, uva passa, cereais, arroz branco, macarrão cozido sem molho, pipoca e refrigerante, bolos, tortas, pizzas e massas em geral.

Este tipo de carboidrato é digerido rapidamente pelo organismo e por isso é absorvido também de forma mais rápida, proporcionando uma sensação de saciedade curta.

Esses alimentos são indicados para quem faz exercícios de alto desempenho e que necessitam de grandes quantidades de energia rápida, mas como contém elevados índices de glicose, não são recomendáveis para quem está em um processo de emagrecimento.

Por isso as dietas que seguem a lógica de cortar carboidratos (ou qualquer outro grupo de alimentos) não costumam dar certo, pois cada grupo representa uma ação importante em nosso organismo. Dietas que incluem apenas chás e shakes são ainda mais perigosas, por possuírem baixíssimos níveis calóricos a pessoa corre o risco de sentir tonturas e passar mal.

Os regimes que propõem o aumento demasiado da ingestão de algumas substâncias como vinagre e limão, por sua vez, aumentam a acidez do estômago e podem causar azia e outras complicações mais graves. O que muitas dessas dietas têm em comum também, além dos malefícios à saúde, é que elas são muito difíceis de serem cumpridas até o fim, provocam ansiedade e estresse nas pessoas que não conseguem segui-las e geralmente acabam causando efeito rebote. Ou seja, mesmo que você emagreça, é muito provável que recupere tudo novamente. Isto porque, após ingerir tão poucas calorias, quando você comer o seu cérebro vai entender que precisa estocar o máximo possível. E também as chances de a pessoa perder o controle quando for comer após passar tanto tempo se alimentando pouco ou quase nada, são grandes.

Há dietas que até intercalam dias de regime intenso e dias em que a pessoa pode comer alimentos super calóricos, como lanches, sorvetes, pizzas e outros em grandes quantidades, as vezes comem até passar mal. Nas dietas esses são chamados os dias de “lixo”. Mas nenhum alimento é lixo, e acima de tudo, nosso o nosso corpo não é uma lata de lixo, tudo o que colocamos dentro dele tem que ser com o objetivo de fazer o bem, de fazê-lo funcionar em sua melhor performance. Por isso não adianta grandes excessos e nem restrições intensas, o equilibro através de uma dieta balanceada prescrita por um profissional é sempre o melhor caminho.

O perigo das dietas milagrosas